terça-feira, 28 de junho de 2011

e meu dedo ainda dói.

Do ônibus desce uma mente confusa.

"Isso de Deus ser nosso 'pai' é muito doido. Me pergunto como deve se sentir. Todo dia, toda hora, a galera fazendo merda. Deve magoar um bocado. Quase me dá vontade de ser mãe, só pra ter noção. Vige, que motivo babaca...mas dá vontade. Você amar mais que tudo e ser magoado. Perdoa porque ama mais que tudo, e ser magoado de novo... porque covenhamos que filho nenhum é perfeito."

E a mente continua confusa caminhando para casa.

"Mesmo assim, sendo mãe, acho que nunca vou ter noção. Somos muito essencialmente egoístas para entender esse tipo de coisa...será, velho? Eu fico angustiada de imaginar o que Deus deve pensar ou sentir...sei lá."

Em casa, esquece um pouco a confusão e sorri para o papagaio quer ir para o ombro...ele sobe...e no primeiro carinho ele bica com muita muita força. Dói muito. "Cara, porque você fez isso!!!!!"

A mente, ainda confusa, corre para a pia, lava o sangue, vê a ferida e chora. Chora. 15 minutos e ainda chora.

"Que isso??" Comença a enumerar as várias doenças que poderiam ter acometido a sua mente já confusa...e ainda chora. Quando percebe...

"É por isso?? É assim??? Porque to chorando tanto, meu Deus? É assim que Você se sente? Você dá carinho e recebe feridas em troca? Doi tanto mais assim por dentro?" As lágrimas ainda lavam o rosto. "E olhei para ele e ele nem sabia o que estava fazendo...ignorante de ter me magoado? Ou não? Não sou do tipo que acredita na inocência de um papagaio...ele sabe da força que usou . Mas ele não sabe o que fez. Ele acha que sabe, mas no fundo, ele não sabe é de nada."

Não sabia mais se chorava pela dor, pela mágoa ou por Deus. Mas a mente estava um pouco menos confusa.

domingo, 26 de junho de 2011

...pra você!

É tanto café na veia que eu nem lembro o que eu ia falar aqui. Era desabafo.

Eu sei que eu estou com raiva. Muita raiva. Sei que gosto de ironias para aliviar a raiva.
Nada como ironizar para desabafar. Eu sei, é feio, mas melhor que matar, roubar, etc.
Ah, dane-se. Tomei um expresso duplo, meio sem querer, estou tremendo que nem portador de parkinson e recebi um e-mail "feladamãe".


E a prioridade é engordurar meu currículo..... ham....foi isso mesmo que eu entendi? Gordura? Ow "migz", não gosto de nenhum tipo de gordura!

Beleza?!

sábado, 25 de junho de 2011

I´d like to know you.

gosto de usar palavras difíceis para as coisas simples. preciso ser simples. eu gosto dessa música.


é bem simples. precisamos ser simples. sejamos simples!

quinta-feira, 23 de junho de 2011

você e a canção pra sonhar



Existe uma sensação ou um sentimento que eu não sei se tem nome.
Você se sente leve, livre, meio triste ou nostálgica, um pouco apaixonada mas com o coração partido. Meio curiosa, mas com medo. Inspirada e confusa. Com preguiça, com vontade de cantar, mas um pouco envergonhada. Empolgada e novamente vem o medo. De repente você desiste disso tudo. 





Ai volta a sentir de novo. Você sonha. Dormindo ou acordada, você sonha. Você escreve um monte de palavras aleatórias que ninguém vai entender no seu blog. Deleta. Escreve de novo. Pensa: que se ferre. E aperta "publicar postagem".


And all of this is because of you and that song.

domingo, 12 de junho de 2011

green light.

Estou ouvindo uma música que toca no celular de uma grande amiga quando recebe ligação.
Eu coloquei essa música de propósito. Me dá sensação de liberdade. É precisamente disso que gostaria de falar.

É tão amplo. Eu poderia me perder nesse tema. Mas vou falar de uma faceta bem simples.
Com todos os problemas ridículos, ou não, me considero livre. "Ah, amiga, mas você é presa pelo sistema, pela máquina conspiradora do capitalismo, etc...etc....". E...? Não vou começar com um papo espiritual, apesar deste ser um grande responsável, mas como falei, é bem simples. Comigo está assim, com você pode estar diferente.
Digo "está" porque tudo passa, tudo muda, sempre. Isso não torna menos digno de ser apontado.

Odeio quando meus posts começam com uma conotonação de "lição de moral" ou "de vida".

Começo a perceber e a aceitar o fato de que as coisas ruins fazem parte da vida. Não que a gente deva se acomodar, mas que elas existem. Às vezes são tão poderosas na minha vida que "estar na merda" se torna estilo de vida. Por causa de garotos? Esses são problemas menores. Frequentes, mas menores.

Tem aqueles problemas crônicos. Aqueles que não tem jeito e você aprende a lidar com eles. Sim......mas....liberdade.
É quando eu olho pra um paisagem aleatória, sem muita importância, como um céu bonito por trás de um semáforo verde, demoro um pouco para engatar a primeira, levo uma buzinada do carro de trás, e consigo sorrir. Depois sorrio comigo mesma de como fui boba e de como aquilo foi bom. E penso: "livre". Ninguém nesse mundo inteiro é 100% livre. Mas a mente pode se libertar por um segundo, mesmo aquela mais alienada, né verdade?
Faz muitos anos desde a última vez que me senti assim.
Existem dois responsáveis por isso. Um deles é O mais importante. Outro, talvez nem possa dizer aqui, e talvez ele nem saiba ou sequer fez algo consciente a respeito. Mas é. Não, ele não é tão importante, e talvez nem queria ser, nem eu quero mais que seja, mas é responsável.

No final, acho que o segredo é paz. Tenho paz dentro de mim em algum sentido que não posso explicar. Nunca completamente. Jamais completamente. Mas alguma paz eu tenho. 
Falei sobre roubar paz para umas pessoas esses dias. Roubar paz também é roubo. Roubei os créditos da minha mãe. Foi ela quem me disse isso, Cora e Lídice.

Acho que é isso. Foi um post sobre liberdade ou sobre paz? Sei lá. Me perdi, eu acho.


Isso do semárofo foi verdade. E eu fotografei.

domingo, 5 de junho de 2011

Notas sobre o amor:

O que Platão me diz em seu diálogo em 'O Banquete':

Amor é movimento
É desejo
Não é belo ou bom, mas fica no meio
É o  querer que transforma desejo em vontade
Vontade de fazer o bem e o que é belo
Age apaixonadamente e anda descalço
É filho da penúria com o caminho
Pede esmolas
É filosofo
Filosofa a vida toda.
É coragem, decisão, energia
Soluciona
É mensageiro, é ponte entre o mortal e o imortal
E se for tudo isso, Platão foi um profeta, daqueles bem promíscuos, e provavelmente sem saber, nem intencionado.
Pois pra mim, Amor, tudo isso ai que ele descreveu, é Jesus. Ou Jesus é Amor. A ordem não altera nada.

E agora posso me concentrar no trabalho. Tava com cotoco pra postar isso. Sou muito romanticazinha, né? ;~