quarta-feira, 21 de setembro de 2011

odeio sopa.

Não estou conseguindo manter uma linha sequer de raciocino que sirva para qualquer coisa que seja, além de ser jogado fora tudo o que eu disser.
Minha cabeça quebrou, foi pro conserto e o prazo é 40 dias úteis para devolução. No mínimo. Mas se for tipo HP, posso começar a chorar.
Outra coisa que acontece é que quando a cabeça quebra, o coração assume.


Ferrou foi tudo.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Diálogos internos #1

"- Tsc. Droga de casal se beijando no meio da rua. Tem o que fazer não, é? Orr..."

"- Isso soa fortemente a recalque."

"-... o cara mora lá no inferno de longe. [eita...desculpa...só no longe]...me dá um crédito. É um saco isso. Droga!"

"- Mas não foi isso que tu pediu? Eu registro tudo, você sabe."

"-... foi ............................ [shameface]"

"- Tabacuda."

sábado, 10 de setembro de 2011

compre boninas

Vá e guarde a caneta no estojo azul de dois reais que comprei na feira. Vai. Escreve do que sobrou. Lave o chão. O azeite que derramou mais cedo. Cante com gregory até passar, que não vai passar. Perca seu tempo. Agora preste atenção e veja o hemisfério vazio em que está. Cante. Cante para Deus. Feche os olhos e leia. Leia o que tem aí. o que tem aí? o quê? Desiste. Tu nunca vai saber. Continue. Apenas isso. Continue. Vai ser sempre assim. E coélet sempre volta aos seus pensamentos gritando, daquele jeito insurdecedor que só Deus sabe: "não há nenhuma novidade debaixo do sol." Você nunca vai ser novidade. Hipócrita. Raza. Insipida. Insuficiente. Irônica. Ridícula. Veja os pinheiros dançando. Por favor, leia-as sob a luz da lua. Toque. Toque-o. Feche sua caixa de surpresas, caixa de tesouro. Morra, e ninguém poderá tirar nada de lá. Chore. Compre boninas. Chore mais uma vez. Isso é seu e de mais ninguém. Não se dê, se empreste. Construa sua cidadela e a vá habitar. Esqueça de tudo e finja que é feliz. Droga. Essa música não está te ajudando, está? Desligue e vá ver Sofia Loren colher girassóis russos.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

look up.


I saw this kid at a bakery today. He was walking inside, looking up, and I was outside in the car, waiting for my  mother to buy some bread. And I envied him. I know that inside of that bakery, on the ceiling, there is a mirror, and that little kid was doing exactly what I´ve always wanted to do every time I go there. 
He was walking, looking up at that mirror and no one was judging him. Then, I got sad. If I do something like that, people will look at me and wonder "wth is that crazy woman doing?".

What makes a child normal, and a woman crazy? Grown ups?
Adults can´t day dream?
Adults can´t imagine?

I guess we have to give that up to make room for all the crap we´ve to handle with, and think, and become. 

Funny how Aldous Huxley saw that coming. And John Lennon tryed to rescue, somehow. And James Barrie tried to fix.
What we´ve become.
That must be some miserable life, huh?