terça-feira, 29 de maio de 2012

...tsc

Foi-se o tempo em que eu sentia qualquer alívio em escrever aqui, em papel, em caderninho, em parede. Sou cólera pura e não prevejo nenhuma melhora no desabafo. Descobri que entre a alienação e o radicalismo existe uma tempestade preta, barulhenta, confusa e ridícula. Ruge o dia inteiro. Daquelas que nem pra molhar a terra serve, só pra desajustar o dia das pessoas. Só cria ozônio. Nesse caso, couro.
É assim que a suzanna tamaro fala que nós, jovens, vivemos. Nos enfiamos dentro de uma couraça para não sofrermos. Que nossa cabeça funciona como um rádio que vem de brinde em caixa de sabão em pó: mostra todas as estações que existem, mas só pegamos no máximo uma ou duas, o resto fica zumbindo ao nosso redor. E essas uma ou duas estações são basicamente um monte de palavras e palavras e palavras que embolam tudo. Porque, sinceramente, sem essa couraça passaríamos o dia inteiro chorando...Estava lembrando do admirável mundo novo e como ele se define como "cristianismo sem lágrimas". Eu acho que ele queria dizer felicidade. Cristão feliz tem que chorar. Deve ser por isso que eu chorei hoje da quarta hora de espera numa clínica de diagnóstico por imagem. Digo o nome: UltraImagem na rua Amélia em Recife.

Cheguei 10 da manhã para ouvir a mulher dizer: acabaram as fichas, só às 12h. Eu na minha ingenuidade, fui gastar as duas horas pra chegar às 12h e ser atendida logo! Acontece que pegar a ficha não quer dizer necessariamente que você será atendida às 12h, amiga. O médico só chega às 14h! ......... Outra recomendação: 'olha, a partir das 13:30 comece a beber água. Uns quatro copos.' Ok! Para encher a bexiga, o médico ver melhor. Nisso eu penso que veterinário é o foda mesmo! Como pedir pro cachorro, gato, bode, vaca beber 4 copos d'água e segurar pra gente poder ver melhor? A gente vê com a bexiga vazia mesmo, moço.
-13:30h eu já tava querendo ir no banheiro mas segurei, afinal, não tava apertada e 14h o médico iria me atender!
-14h chegou, eu estava arrepiada há uma hora de frio e de aflição.
-Quando deu 14:30h, eu estava com dor! Literalmente dor! Cheguei numa das "simpatissíssimas" atendentes para dizer: moça, eu não estou brincando quando eu digo que vou morrer!! se não for no banheiro logo. Vai demorar muito? Ela me responde: "Qual o seu nome? Ah, Maria Clara, você é a próxima, ele vai começar a atender agora!"
Como assim??? Não era às 14h??
-15h ouço, em meio ao torpor cerebral gerado pela dor, algumas mulheres começando a reclamar e a estranhar o fato de elas estarem esperando a tanto tempo quanto eu e não terem sido atendidas ainda. Nesse meio tempo, eu corri no banheiro e fiz metade do xixi que eu tinha. Afinal, tinha que ter a porcaria da bexiga cheia. Começar doeu, e parar mais ainda. Isso foi uma proeza. Tenta parar de fazer xixi na metade! Não senti alívio, mas a dor diminuiu um pouco. A aflição não. Voltei e me sentei numa escada perto do consultório, tremendo e tentando sofejar harpejos aleatórios bem baixinho para tentar tirar minha mente da dor. Eu tremia muito e ouvia as mulheres ainda reclamando. Então eu comecei:
"Esse pessoal aqui não trabalha com saúde. Porque se eles soubessem o que é SAÚDE, eles não tratariam as pessoas assim. Nem veterinário trata cachorro assim."
Elas me perguntaram se eu estava bem, e eu disse que desde 13 da tarde que quero ir no banheiro e não posso, que só estava aguentando porque amanhã vou passar por mais outra espera desumana dessas pra ouvir minha ginecologista me dizer que remédio eu tomo para minha dor menstrual parar, mas agora tudo o que eu queria era ir no banheiro...e aqui eu não aguentei. Comecei a chorar. Desesperada e com vergonha, meti as mãos nos olhos tentando enfiar as lágrimas pra dentro. Como é que pode a pessoa ter um banheiro do lado, sentindo dor porque mandaram ela não esvaziar a bexiga, pedir ajuda a atendente [que nem olhou na minha cara], chorar porque quer fazer xixi e não pode!? Se isso é saúde, eu prefiro ser doente!
Me acalmei, e baixei a cabeça tentando me concentrar pra não fazer xixi ali mesmo. Um monte de mulheres grávidas em pé sem ter lugar pra sentar, esperando a um tempão, morrendo de frio porque nem noção da temperatura do ar condicionado aquela "maravilha" de atendimento tinha.
Deu 15:30h eu não podia mais. Mandei todo mundo se danar mentalmente e fui fazer xixi. Ironicamente, dei descarga e a mulher chamou meu nome. Pensei: "ótimo! é agora que eu faço meu manifesto. Vão ter que fazer minha ultrassom com minha bexiga vazia! Quero ver se é deus mesmo." Quando saí, uma das grávidas estava falando meio angustiada: "qual seu nome? Chamaram você!!!" Eu respondi que tinha escutado, e calmamente fui lavar minhas mãos, sem pressa. Àquela altura, eu não tinha pressa pra mais nada na vida.
A atendente já estava chamando a próxima e eu falei que ainda estava ali. Como ela me viu saindo do banheiro, perguntou: "Está com a bexiga cheia?" Eu respondi que não. E ela sem mais cerimonias disse: "beba quatro copos de água e aguarde."
...
Cara...............
"Não!" Respondi. "Vou fazer de bexiga vazia mesmo. Não vou esperar mais não. Estou querendo ir no banheiro desde 13h da tarde!" Ela não respondeu, mas acentiu. Ela não tava nem doida de dizer não.
Ai eu pensei que aquilo tudo era uma idiotisse mesmo. Ninguém alí tem a mínima noção do que está fazendo. Não eram robôs desumanizados não. Eram ignorantes.
O médico me atendeu e, imaginem só!!!!!!!!, ele conseguiu ver meu útero com minha bexiga vazia!!!
Que merda é essa, velho??? É tortura? Eles tem prazer em torturar as pessoas e fazê-las pagar por isso?
Saí com dor de cabeça, vontade de chorar de raiva [é, alguma coisa me estragou de um jeito que agora eu sempre choro quando tô com raiva], sangue nos olhos, cólera nas veias, bili evaporada, um tantinho de intoxicação por retenção de urina, meus rins putos comigo, um mioma de 1,5cm de diâmetro e a certeza de que mês que vem vou menstruar com o ovário esquerdo.
Eu estou exausta. Não por causa do dia de hoje, mas por causa de tudo isso. Como ficamos igual as vacas, esperando passivamente os caras fazerem o que quiserem com a gente. As vacas, porém, tem a desculpa de serem animais domésticos. Oh, wait......

Geração de mariquinhas...

E no meio dessa tempestade você tem que arrumar um sentido. Porque: alienação é dizer "eu sou vaca e quero ser vaca até morrer. Ser vaca é confortável", e radicalismo é "let´s blow this shit!"
Nenhuma das duas resolve. Resolver? É piada pensar nisso. Não...não to afim de resolver porque resolver é um alvo que a gente tem que ter. Mas enfim, eu miro no "resolver" porque, ao menos assim, eu sei que não vou ser a assistente "supimpa" de alguém.

adeus.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

amor e os transportes coletivos #3

Lembra quando eu vi o amor no ônibus pela segunda vez?

Reencontrei esse amor em uma festa chamada "natal fake"em 2011. Cheia de gente canalha. Eu, claro, não me excluo disso. A gente se conhecia de facebook a um tempão já, só não sabia de onde.... e disso só concluí que o Recife é ovo.

Já pensasse?

Reecontrei o amor pela terceira vez.

A gente encontra o amor nos lugares mais inusitados.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

cartas de viena

Viena, 10 de maio de 2012.

Olá, minha cara. Como estão as coisas?
A verdade é que sei exatamente como elas estão. Por isso te escrevo.
Vejo muitas coisas acontecendo. Não aquelas visíveis como "a neve começou a derreter" (finalmente, devo acrescentar), mas coisas invisíveis. E sim, apesar de suas tentativas absurdas de esconder, eu consigo ver tudo! Conheço bem o seu coração. Então, querida, te escrevo, pois sei que é meu dever falar-lhe algumas coisas a respeito de todas essas coisas que vi e te peço que use sabedoria para entendê-las.
Primeiramente, criança, preciso que você desacelere. Você é tão ambiciosa para uma jovem. Mas se pergunte: se você é tão inteligente, porque você ainda está com tanto medo? Cadê o incêndio? Que pressa é essa? Melhor acalmar-se antes que se consuma por completo. Você tem tanto para fazer e apenas tantas horas em um dia.
Você sabe que quando a verdade é dita - que você pode ter o que você quiser ou apenas ficar velho - você vai desistir antes mesmo de chegar à metade. Quando você vai perceber que eu estou te aguardando?
Calma, você está indo bem. Você não pode ser tudo o que você quer ser antes do seu tempo. Muito embora eu reconheça que, hoje, seja muito romântico estar no limite.
É uma pena, mas é a vida que você leva. Você tem estado tão a frente de si mesma que você esquece do que precisa. Embora você consiga ver quando está errada, você sabe que nem sempre consegue ver quando está certa. Você tem sua paixão, você tem o seu orgulho. Mas você não sabe que apenas os tolos são e estão satisfeitos? Continue sonhando, mas não imagine que todos eles se tornarão realidade.
Tire o telefone do gancho e desapareça por uns tempos. Tudo bem, você pode se dar o luxo de perder um dia ou dois. Eu estou esperando por você. Viena espera por você.


Muitas saudades. Eternamente,

Seu.


[inspirada na música Vienna por Billie Joel]

quarta-feira, 9 de maio de 2012

tonta


'I´m like thomas doubting fingers
routing the scars
in your wrists and side
touching flesh will make my mind believe
but I want to be like david
throwing his clothes to the wind
to dance a jig in my skin
and be remade by your cleansing again'


amazing how those same old songs comeback to you completly different. 


dizzy -  sixpense none the richer.

sábado, 5 de maio de 2012

tempo a sós na bavária.

parece que quando a sissi - imperatriz da áustria em 1955/1956/1957 - fica triste, ela escuta seu pai e vai ter um tempo de qualidade consigo mesma dando um passeio contemplativo no bosque da bavária.

em 2012 a gente chama isso de tempo a sós com Deus.

[e por amor do guarda: eu não entendo por isso dizer que "eu sou princesa". NÃO.]

sexta-feira, 4 de maio de 2012

doenças...

mensal.
um vem, o outro vai, depois vem, e vai.
seguida de uma semana de ociosidade, que vem seguida de uma semana de ociosidade.
parece que passo meus dias a contar minhas doenças...
parece que virei todos os personagens do dostoiévski, que virei o coronel do gabriel garcia marquez.
minha imunidade tá tirando onda da minha cara.
eu acho que é falta de uns quereres. eu quero gostar das coisas de novo.
hoje eu só gosto das pessoas. nem todas.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

to you, my friend...


look at the sky. look the forever in blue. 
yes, look from those fields.
reach the horizon with your eyes, that line spliting everything in half.
you see, it is never ending.
but although it parts you, it makes you hope and dream and move forward.
take all the bagage you own.
this wont make it go away, but it will take care of you for the rest of your life.


i´m so sorry.
i´ll be praying.