sexta-feira, 26 de agosto de 2011

espuma do mar



Eu sei. Acredito profundamente. Sinto que saudade é tão forte e tão carente. Ela não habita o corpo sozinha, vem sempre acompanhada daquelas outras desgraçadas. Em uma de suas visitas, só se sente o coração doer. Então, lá está: o bolo de carne viva cheia de dor.

E é só isso o que se é, até que o sono ou a morte caia sobre si. Nada mais, além desses sonhos miseráveis  de alívios momentâneos, aplaca a dor. É residente perene; até o dia em que eu e minha dor, juntas, irmãs, cumplices, confidentes, nos tornemos espuma do mar.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

um sonho e uma visão

Esse é um registro que fiz a uns dois anos atrás. Meados do segundo semestre de 2009, logo após uma aula, estava sentada na sala de aula e decidi escrever no meu caderno um sonho que havia tido na noite anterior.  "Tenho que escrever esse sonho. Ontem à noite eu sonhei com Jesus! Ele veio para nos ensinar algumas coisas simples e tirar dúvidas. Eu sentia que era mais para ficar perto da gente. Ele era lindo e eu não conseguia medir minha felicidade. Ele não era alto mas era forte, loiro com cabelos ondulados até o ombro. Parecia meio bronzeado e que tinha andado muito para chegar lá. Estavamos numa sala com cadeiras e um quadro branco bem grande. Parecia uma sala de aula e tinha ar condicionado. Engraçado que Ele estava com uma cara de preocupado, era muito tímido, apesar de ter uma boa oratória. Eu tiro tudo isso dos flashes que vem na minha cabeça. Haviam pouquíssimas pessoas na sala, o que era meio triste, mas Ele não se importava e me parecia que a missão Dele era explicar umas coisas e tirar dúvidas. Eu sinto que perguntei muitas coisas mas não lembro de nada. Eu lembro que ele completou uma pergunta minha sobre a igreja católica. Eu falei: '...eu era católica, mas...', e Ele completou: 'Agora você é cristã.', como se dissesse 'eu sei!'. O interessante é que eu olhava e as vezes Ele estava com uma roupa diferente... No começo só uma túnica branca, que mais parecia um kimono. Depois uma roupa com faixas de cetim rosa que ia até o pescoço. E outra hora sem blusa, de um jeito que deu para ver que Ele tinha umas marcas no corpo, umas tatuagens. Lembro que eram sinais e desenhos que eu não entendia direito. Meio simbólicos. Cobriam todo o peito e as costas. E nessa hora eu virei para Bruna e falei 'Ó Bruna, a gente pode fazer tatuagem, olha só, Ele tem'. Nessa hora ele ficou tímido e calmamente falou: 'Não, para você não é muito bom não. Isso aqui é outra coisa'. Eu ainda não sei o que isso poderia querer dizer. Depois disso, eu falei a todos que a gente deveria sair do ar condicionado e ir lá para fora, porque o céu estava lindo, e saí. Do lado de fora estava tudo meio bagunçado, meio em ruínas, e quando eu tomei conta do que eu estava vestindo [eu estava de biquíne], eu fui brincar. Achei uma caixa d'água velha e embaixo tinha uma torneira que, ao vazar, formou uma poça de água mais cristalina que eu já tinha visto. Eu me deitei na poça e, o que tinha de bonita tinha de gostosa. Nessa hora eu vi que Bruna havia saído também e estava de biquíne, só que estava toda suja de lama. Chamei ela e ela veio, mas logo ela pediu para voltar para dentro. Nós íamos entrar de novo pela porta da frente, mas nos envergonhamos de entrar daquele jeito. Fomos para outra porta, trocamos de roupa e entramos. E acabou aí. Foi muito bom esse sonho. Seria legal ter outros assim."
O que me faz postar aqui isso agora, depois de tanto tempo, foi o email que recebi de uma amiga, a mesma Bruna do sonho, que falou que lembrou do sonho que eu havia tido. O email dizia o seguinte:




"Gostaria de compartilhar com voces, meus amigos, a visão que tive na 5 feira 14 de julho de 2011. VISÃO DO CORPOEstava dirigindo o meu carro. Como sempre no engarrafamento da Linha Vermelho.Enquanto orava no espírito e pensava em Jesus eu tive uma visão.Eu vi Jesus, e o inicio da sua paixão. Ele era cuspido, escarnecido, zombado, chicoteado e perfurado. Pra que você possa entender o que vi, o mais próximo de todo este tormento pode ser visto no filme a Paixão de Cristo de Mel Gibson.Ao terminar esta parte da visão ouvi uma voz que me dizia:Estais tristes? Se sente mal? O que sentes? Por que sentes isso?Tentei responder com poucas palavras.E a voz respondeu: Eu também me sinto assim, Todos os dias.E continuou me perguntando: O que você viu?Então disse que via Jesus sofrendo em meu lugar.Não!!! Você não viu Jesus. Dizia aquela voz.Este é o meu corpo. Este é o meu corpo. Este é o meu corpo. Este é o meu corpo. Este é o meu corpo. Este é o meu corpo. Este é o meu corpo. Este é o meu corpo. Este é o meu corpo. Este é o meu corpo.Então meu entendimento se abriu. E Deus disse: Este é o meu corpo. A minha igreja.Como fizeram com meu filho assim fazem com minha igreja.Minha igreja é o corpo e Jesus é o cabeça.Neste momento a voz declara: Olha como era o meu corpo.Então eu vi um corpo de homem de pele clara, porém não conseguia ver seu rosto.De repente este corpo de homem começa a ser tatuado a partir do peito.Igreja Catolica Apostolica Romana. Então de uma maneira surpreendente o corpo começou a receber diversas tatuagens com diferentes nomes de igrejas e denominações. ESTA FOI A PARTE QUE MAIS ME IMPRESSIONOU. Apartir das igrejas históricas, da reforma, pentecostais, e muitas e muitas tatuagens o corpo começou, COM EXCEÇÃO DA FACE, a ficar todo tatuado e em algumas partes manchado, pois em cima de tatuagens anteriores, vinham outros e tatuavam outros nomes e complementos. Ate que um determinado tempo o corpo estava completamente manchado.Então a voz disse: Este é o meu corpo. Eu nunca quis um corpo manchado. Eu queria um corpo limpo. Mas cada um dos homens quis imprimir a sua foto, a sua característica, a sua visão, mesmo parte das minhas revelações. Cada um deles quis imprimir a sua identidade.Eu não quero mais isso. A identidade que quero é a identidade do meu filho. Eles mancharam meu corpo. Chega de tatuarem no meu corpo CHEGA. Dizia a voz com bastante veemência. Estas tatuagens me doem no corpo.Escute: Mesmo manchado ESTE É O MEU CORPO. Eu quero o meu corpo. Eu desejo o meu corpo. Eu não abro mão do meu corpo. Eu padeço pelo meu corpo.Lembra quando falei pra Oseias ir buscar sua mulher mais uma vez. Eu também quero meu corpo. Nunca vou abrir Mão do meu corpo.Dizem que meu corpo esta dividido. Meu corpo não esta dividido, porque ele é indivisível. Lembra que as escrituras declaram que nenhum dos ossos de Jesus foi quebrado. Assim é minha verdadeira igreja. Ela é indivisível.Minha igreja está tão manchada que muitos vão começar a rejeitá-la.No entanto, existem alguns que farão como a prostituta que ungiu os pés de Jesus. Entrou na casa do fariseu, reconheceu a Jesus e o ungiu com o melhor que ela tinha.Se as pessoas olharem para o corpo não conseguirão reconhecê-lo. Mas os que olharem para sua face, para seus olhos, a única parte que não está tatuada, o reconhecerão como Senhor e ungirão os pés da igreja.Porém alguns, se dizendo entendidos, mas puramente religiosos, olharão para o corpo e rejeitarão o meu corpo e consequentemente a Jesus.De repente o corpo tatuado começa a ser chicoteado e maltratado. A voz continua: Assim como fizeram com meu filho assim farão com minha igreja. Ate alguns que se dizem ser membros do corpo estão mutilando o corpo com suas palavras e posições. Estes nunca fizeram parte do meu corpo.Isso me deixa triste. Meu corpo, minha igreja vai começar a sofrer. Mas tudo isso se faz necessário. No entanto, aqueles que estiverem ligados a este corpo serão verdadeiramente curados e libertos. Pois a medida que a coroa de espinhos for cravada na cabeça, o sangue que cura, liberta e transforma será derramado por todo meu corpo. E aqueles que estiverem nele ligados serão cobertos pelo sangue. Porem os que estiverem de fora não receberão.Assim como meu Filho, haverá um tempo em que a igreja vai parecer morta, durante três dias. Depois destes dias minha igreja a de ressuscitar com poder e Gloria.E não verão mais um corpo tatuado e manchado, mas um corpo glorificado, um corpo transformado.Esta igreja se levantara para reinar comigo.O que fazer nestes últimos dias perguntei a Deus?Durante este tempo deves ungir o corpo.Assim como Jose de Arimateia, homem rico que se tornou seguidor de Jesus, busque e guarde o meu corpo. Limpe o meu corpo, unge  meu corpo e envolva com lenços brancos. Faça isso com o corpo.O Senhor me alertou: Cubra , lave, unge apenas o corpo morto. Aqueles que quiserem se manter vivos, andar segundo suas próprias vontades, deixe-os. Mas os que se entregarem, se arrependerem e mortificarem sua própria carne serão dignos de serem cobertos.Até agora estou pensativo com o que recebi. A medida que escrevo continuo lembrando de outros detalhes.Estava dirigindo meu carro, mas nem me lembro o caminho e o que tinha no trajeto da Pavuna ate a URCA. Quando percebi já estava no estacionamento da universidade.Que o Senhor nos ajude e nos dê compreensão maior das coisas do tempo do fim."Achei tudo isso muito forte e penso que demorei muito para compartilhar o sonho que tive. Mas esse email me relembrou da importância de se compartilhar esse tipo de coisa. Talvez agora seja a hora certa para isso. Vai saber, né? Enfim, espero que tudo isso seja tão impactante e forte para você quanto foi para mim.  Foi um email do João Correia. João, se você vir esse post, gostaria de te agradecer!Deus seja louvado.



sábado, 20 de agosto de 2011

Agora sim...

...paz, enfim.


[tenho bem uns 50 textos em papel para postar.]

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

nossos últimos dias como crianças.

Estou certa de não ser nem a primeira nem a última a ter o peito afligido dessa forma. É a forma mais maravilhosa de sentir vida. Angústia, misturado com alegria, tristeza, saudade e medo, tudo ao mesmo tempo.
Já me vi pensando no coração como uma panela de sopa em que alguém [ou nós mesmos] mexe sem parar, sem dó. Sopa de sentimentos misturados.
Graças a Deus por isso.

Estou ouvindo Explosions in the Sky.
A música se chama "Our Last Days as Children". A época em que ouvia direto esses caras foi a época em que uma certa foto foi feita. Estamos eu e um amigo meu no zoológico. Foram de fato nossos últimos dias como crianças. Me lembro nitidamente dessa foto quando escuto essa música. A nostalgia me faz sentir viva.

Então vem a saudade. Essa machuca. Como que quente demais.
Lembro dos dias em que ela não habitava mais em meu peito. Dias sem dor. Como se tivesse tirado férias. Férias acabam. As dores voltam.
Sabe, uma saudade puxa outra. E quando você menos espera, é tudo o que você sente. Por diferentes motivos, de diferentes pessoas e coisas, acompanhada pela solidão. No final, você é um bolo de carne viva cheio de dor.
Mesmo assim, me alegro, pois me sinto viva.

E quando nenhuma angustia, alegria, tristeza, dor, saudade, medo, te perturba, seu coração volta pro lugar. Acredito muito nisso, por isso falo sempre.
Aí, você pode contemplar Deus na maneira mais completa que um ser humano consegue. E seu interior se enche de uma beleza indescritível. Você sorri e se sente mais vivo que em qualquer momento antes na sua vida. É só olhar pro céu. Para as estrelas.
Para mim, as estrelas são as janelas circulares do céu. O céu é tão cheio de poder, tão brilhante, claro.... Dela, Deus vê tudo, de todos os ângulos. E ele encheu o nosso céu de estrelas por isso. Em todo lugar, mesmo com nuvens, com muitas luzes urbanas, lua cheia, teto...não  importa com o que a gente tente encobrir os olhos Dele. Elas estão lá. Sempre.

Graças a Deus por isso!!!

Agora? Eu sinto saudades de você.
Mas o mais forte dos sentimentos é o desejo da sua felicidade, acima da minha. De manter o sorriso no seu rosto até o fim dos dias, até o dia em que, a mim,  isso não mais couber.
Minha sopa, que é vida, agora fervilha pra você.